Radio A Toa

quarta-feira, julho 14, 2010

Cama

Nos alvos
brancos
límpidos
puros
imaculados
claros
lençóis
dançamos
o balé dos aflitos
aquele de contorcionismos
e suamos a pele
perdemos fluídos
depois os nossos sumos
misturados
escorrem-me as coxas
fartos de cores
e cheiros
e texturas
decoramos a cama com as flores do nosso amor
enfeitamos tudo com o nosso prazer
porque bom mesmo nessa vida
é desarrumar a cama com você.

4 comentários:

Keila Costa disse...

Coisa mais boa esse balé revelado me poesia...
Beijos

Sara_Evil disse...

è a malvada ensolarada que tem sorte no amor.....e eua sorte de poder saber de seus versos!

Nina Blue disse...

MUITO BOM, amo seu lado poético!

Senhora Loirinha Má disse...

Obrigada, queridos!!!!!